Conheça o “Telefone Cat”. Em 1929, pesquisadores de Princeton abriram o crânio de um gato e conectaram o nervo auditivo a um telefone. Quando um pesquisador falava no ouvido do gato, o outro podia ouvir pelo receptor a 50 metros de distância. O experimento acabou se tornando a base para os implantes cocleares.

The Cat Telephone

Por Arthur Kim '18

O que um gato e um telefone têm em comum? Eram a mesma coisa em um experimento conduzido em 1929 pelo professor Ernest Glen Wever e seu assistente de pesquisa Charles William Bray aqui na Universidade de Princeton. Wever e Bray pegaram um gato inconsciente, mas vivo, e o transformaram em um telefone funcional para testar como o som é percebido pelo nervo auditivo.

Para fazer isso, eles primeiro sedaram o gato e abriram seu crânio para melhor acessar o nervo auditivo. Um fio de telefone foi conectado ao nervo e a outra extremidade do fio foi conectada a um receptor de telefone. Bray falava nos ouvidos do gato, enquanto Wever ouvia pelo receptor a 50 metros de distância em uma sala à prova de som. A noção comum durante este tempo w ... Leia mais

Fonte: https://blogs.princeton.edu/mudd/2017/04/the-cat-telephone/