Página Inicial » Assuntos Sensíveis » O narcotraficante colombiano Carlos Lehder comprou para si uma ilha nas Bahamas onde instalou uma pista de pouso que controlava as drogas que chegavam da América do Sul e entravam nos Estados Unidos. Ele ficou tão rico que se ofereceu para pagar a dívida externa da Colômbia por anistia.
Carlos Lehder Mugshot

O narcotraficante colombiano Carlos Lehder comprou para si uma ilha nas Bahamas onde instalou uma pista de pouso que controlava as drogas que chegavam da América do Sul e entravam nos Estados Unidos. Ele ficou tão rico que se ofereceu para pagar a dívida externa da Colômbia por anistia.

Norman's Cay

No final da década de 1970, a parceria Lehder-Jung começou a divergir, devido a alguma combinação da megalomania de Lehder e sua trama secreta para garantir uma ilha pessoal das Bahamas como quartel-general multifuncional para suas operações.

Essa ilha era Norman's Cay, que naquele ponto consistia em uma marina, um iate clube, aproximadamente 100 residências particulares e uma pista de pouso. Em 1978, Lehder começou a comprar propriedades, a perseguir e ameaçar os residentes da ilha; a certa altura, um iate foi encontrado flutuando na costa com o cadáver de um de seus proprietários a bordo. Estima-se que Lehder gastou 4.5 milhões de dólares na ilha no total.

Quando Lehder pagou ou forçou a população local a partir e começou a assumir o controle total da ilha, Norman's Cay tornou-se seu feudo privado sem lei. A essa altura, ele havia forçado Jung a sair da operação, e o financista internacional Robert Vesco teria se tornado um parceiro. Jung usou suas conexões anteriores para assumir uma linha mais modesta de contrabando independente para Pablo Escobar e ficou fora do caminho de Lehder.

De 1978 a 1982, Cay foi o principal centro de contrabando de drogas do Caribe e um refúgio tropical e playground para Lehder e associados. Eles transportaram cocaína da Colômbia em todos os tipos de aeronaves capazes de pousar totalmente carregados na pista de pouso, recarregaram-na em várias aeronaves pequenas e, em seguida, distribuíram-na em locais na Geórgia, Flórida e nas Carolinas. Lehder teria recebido 1 quilo em cada 4 transportados por Norman's Cay. Continue lendo (leitura de 7 minutos)

12 pensamentos sobre “O narcotraficante colombiano Carlos Lehder comprou para si uma ilha nas Bahamas onde instalou uma pista de pouso que controlava as drogas que chegavam da América do Sul e entravam nos Estados Unidos. Ele ficou tão rico que se ofereceu para pagar a dívida externa da Colômbia por anistia ”.

  1. Siray

    Eu morava nas Bahamas no final dos anos 80 até o início dos anos 90. Tínhamos uma pista de pouso particular e uma noite, do nada, um avião enorme veio voando baixo sobre nossa casa. Meu pai ia fazer uma inspeção quando um funcionário o parou e disse para deixar em paz. Na manhã seguinte, minha mãe, minha irmã e eu fomos paralisados ​​quando um helicóptero da DEA bloqueou a estrada à nossa frente (não tivemos que ir para a escola naquele dia). Ainda bem que meu pai foi parado porque uma grande quantidade de narcóticos foi transportada por nossa propriedade e meu pai provavelmente teria morrido. Em outra ilha, posso me lembrar claramente de dirigir para casa e da falta de energia na maior parte da ilha ... exceto no aeroporto. A pista estava iluminada o mais possível. Meu pai passou muito mais rápido do que o normal e fomos direto para nossa casa. Sem perguntas. Deixa estar assim.

  2. DirtyMonday

    Há uma boa biografia dele em “Gangsters: America's most Evil”

    Minha parte favorita foi aquele residente que se recusou a deixar a ilha e realmente fodeu com esse cara. Essencialmente fodendo com o Cartel de Medellin. Claro que o cara estava lá para nadar com tubarões-tigre, então 'Crazy Carlos' não iria assustá-lo.

  3. ibarabi

    Não há necessidade de aceitar pagamento por anistia, eles apenas congelaram suas contas

  4. SequesterMe

    Eles deveriam ter dado a ele anistia, desde que ele nunca mais participasse de atividades ilegais.

    Quer dizer, o presidente Reagan dos EUA fez quase a mesma coisa.

  5. cartoon_gun

    Pablo Escobar também tinha uma ilha. Acredito que ele também tinha uma pista de pouso nas Bahamas. Outros líderes do cartel colombiano também.

  6. johnnyhammer

    Nunca deixo de me surpreender com o poder aquisitivo que a poeira branca cria para as pessoas erradas.

  7. Therealmohb

    Blow: um ótimo filme.

    Mas um livro ainda melhor. O livro dá muitos detalhes sobre Carlos.

  8. _Born_To_Be_Mild_

    Você é rico, mas não é rico para pagar as dívidas de um país inteiro.

  9. jdubs703

    “Eles alistaram duas garotas americanas para tirar férias pagas em Antígua, receber cocaína e carregá-la de volta com elas para os EUA em suas malas. Repetindo esse processo várias vezes, eles logo tiveram dinheiro suficiente para um avião.

    Usando um pequeno avião roubado e um piloto profissional, eles começaram a transportar cocaína para os Estados Unidos via Bahamas ”

    Então, eles economizaram o suficiente para um avião roubado?

  10. fracking_u

    Achei que fosse Pablo Escobar quem tentasse saldar a dívida da Columbia.

Deixe um comentário