lar » Referência » Humanidades » Mito e Folclore » O Aswang na guerra psicológica: uma intersecção fascinante entre mitologia e táticas militares

O Aswang na guerra psicológica: uma intersecção fascinante entre mitologia e táticas militares

O aswang, uma criatura profundamente enraizada no folclore filipino, representa uma mistura intrigante de guerra sobrenatural e psicológica. Esta entidade mítica, que incorpora várias formas do mal, como vampiros, ghouls, bruxas e metamorfos, tem sido objeto de medo e fascínio nas Filipinas há séculos..

Na década de 1950, durante um período turbulento de conflito com os Huks, um movimento de guerrilha comunista, a CIA aproveitou engenhosamente o mito aswang para operações psicológicas. Para incutir medo entre os guerrilheiros, espalharam rumores de que essas criaturas malévolas atacariam homens maus. O culminar desta estratégia foi ao mesmo tempo macabro e eficaz: um cadáver de Huk foi encontrado com buracos perfurados e sem sangue, aparentemente obra de um aswang. Esta tática, provavelmente influenciada pelo Coronel Edward Lansdale, demonstrou uma profunda compreensão das crenças locais e do poder do folclore na formação de percepções e comportamentos.. [1]

A eficácia desta estratégia dependia do significado cultural do aswang. Considerada a criatura mítica mais temida das Filipinas, o comportamento do aswang contrasta fortemente com os valores tradicionais filipinos, incorporando a inversão das normas e da ética sociais. O amplo reconhecimento da criatura e o terror associado que ela invocava tornaram-na uma ferramenta ideal para a guerra psicológica. A utilização do folclore neste contexto demonstra uma abordagem diferenciada ao combate, onde a compreensão e a manipulação de crenças culturais podem ser tão potentes como as tácticas militares tradicionais. [2]

O papel do aswang neste episódio histórico exemplifica a complexa interação entre a mitologia e os eventos do mundo real. Ele sublinha o poder duradouro do folclore e as suas potenciais aplicações para além do domínio da narração de histórias e em operações militares estratégicas. Este episódio da história oferece uma perspectiva única sobre como crenças e mitos culturais profundamente enraizados podem ser eficazmente entrelaçados no tecido da guerra psicológica, alcançando objectivos que os métodos convencionais não conseguem.

Deixe um comentário